A loja física do Google e o movimento “O2O”

Tal como Amazon, a empresa aposta em novo ponto de venda físico, desta vez em Nova York

Em um movimento conhecido como “O2O” (online to offline), o Google se prepara para inaugurar sua primeira loja fora da sede oficial da empresa, na Califórnia. O novo ponto de venda será instalado em Nova York, mais precisamente no bairro de Chelsea, próximo ao campus do Google, que conta com mais de 11 mil funcionários da empresa de tecnologia.

Como foco em produtos de tecnologia, a loja contará em seu portfólio com celulares e smartphones da linha Pixel, exclusiva da companhia, além de produtos focados no uso doméstico, como os assistentes digitais da linha Nest. 

Além de comprar os produtos, os clientes poderão testar as últimas novidades do Google, tirar dúvidas ou retirar os produtos comprados pela internet, proporcionando uma experiência omnichannel.

Movimento “O2O” é uma tendência entre os grandes da internet

O chamado movimento “Online to Off-line”, também estilizado como “O2O”, não é uma tendência ditada ou seguida apenas pelo Google. Outros grandes nomes do comércio digital começam a mover suas peças neste xadrez em direção ao varejo físico, cada uma seguindo seu próprio caminho.

Um desses exemplos é a Amazon, que vem apostando fortemente na expansão do modelo “Amazon GO”, que depois dos Estados Unidos, chegou ao Reino Unido em março deste ano. Além da aposta deste modelo de proximidade, completamente autônomo – de ponta a ponta -, a empresa também inaugurou recentemente em Londres um salão de beleza high tech.

O espaço é equipado com tecnologia de Realidade Aumentada para mostrar como seria uma prévia de tingimento do cabelo dos clientes. Também há outro dispositivo no salão que permite que o consumidor aponte o dedo para um produto e uma tela na parede dá informações sobre o item para ele. 

Contudo, este é um projeto experimental da Amazon, neste momento ainda restrito aos funcionários da empresa, mas com possibilidades de ser aberto ao público nas próximas semanas, segundo informações da própria companhia. Por ora, a companhia descarta a hipótese de lançar uma cadeia de salões.