Rede UNNO nasce a partir da expertise dos supermercados

Sete empresas compõem o grupo que chega ao mercado do Rio de Janeiro com poder de negociação e experiências diferentes dos parceiros

Depois de um certo mistério, a Rede UNNO de Supermercados iniciou sua operação. Para criar o clima de expectativa, um dia antes do lançamento oficial a empresa veiculou anúncios na TV pedindo que os consumidores não fossem às compras e esperassem por uma novidade no mercado fluminense. A nova companhia já nasce com mais de 13 mil colaboradores e 113 pontos de venda oriundos dos supermercados Bramil, Campeão, Costazul, Inter Supermercados, Princesa, SuperPrix e Supermercados Real de Itaipu, abrangendo assim todo o Estado do Rio de Janeiro.

Para conhecer um pouco mais sobre o papel do novo grupo e as principais vantagens desta fusão, o Blog APAS Show entrevistou o presidente da Rede UNNO, Genival Beserra. De acordo com o gestor, as empresas associadas podem contribuir para melhorar todas as etapas da operação das lojas como atendimento, serviços, ofertas de produtos e também reduzir a ruptura por meio da experiência adquirida na gestão de cada um dos empresários.

Uma das principais vantagens que Beserra enxerga na operação é a maior agilidade na entrega dos fornecedores, principalmente pela vantagem nas negociações com a indústria. Nesta entrevista, o presidente da rede também ressaltou a escolha das companhias de abrirem mão de suas individualidades para trabalharem em conjunto.

[Blog APAS Show] Qual é o principal objetivo que motivou a união entre sete empresas do ramo supermercadista?

[Genival Beserra]: Foram muitos fatores que contribuíram para essa união. Um dos principais foi a possibilidade de oferecer ao consumidor um portfólio mais completo de produtos nos supermercados. Com o porte que temos nesta empresa, podemos praticar uma precificação mais justa, devido ao volume maior de compras nas indústrias, o que significa um preço menor para o supermercadista. A grande vantagem para cada empresa do grupo é ter mais poder de negociação. Comprar e vender melhor.

[Blog APAS Show] Além do nome da marca inserido nas fachadas das lojas que pertencem ao grupo, que características devem ser adotadas pelas empresas que compõem a rede UNNO?

[Genival Beserra]: Digamos que UNNO será o sobrenome das lojas que formam a rede. O que elas terão em comum será a padronização das lojas. O consumidor poderá encontrar o mesmo produto em todas as unidades da companhia. O atendimento também será totalmente padronizado para oferecer a mesma experiência de compra para os clientes em todos os pontos de venda. Além disso, a partir desta união, toda a programação visual interna das lojas será muito próxima da que foi adotada pela rede UNNO.

[Blog APAS Show] Quais são as vantagens operacionais que esta união pode render para parceiros que compõem a rede UNNO?

[Genival Beserra]: Nosso atendimento terá uma vantagem operacional determinante que é o certificado “Great Place to Work”, adquirido pela rede Costa Azul. Todas as boas práticas reconhecidamente eficazes usadas pelas empresas do grupo serão adotadas em todas as lojas. A ideia é fazer com que todas aprendam essa expertise e repliquem nos outros pontos de venda.

[Blog APAS Show] Com o maior poder de negociação, o que muda em relação à logística para cada um dos pontos de venda?

[Genival Beserra]: Passamos a negociar a carga fechada das mercadorias com a indústria. Desta forma, a entrega dos itens é feita na central da rede, facilitando a distribuição para os pontos de venda. Outra vantagem é reduzir o número de rupturas nas lojas e manter as gôndolas sempre abastecidas de forma padronizada. Quando você consegue receber sua carga diretamente nas lojas, isso aumenta o volume de recebimento e a agilidade na entrega. Outra vantagem da carga fechada para a operação dos supermercados é diminuir o valor pago pelo frete.

[Blog APAS Show] Uma negociação desse porte necessita de embasamento em pesquisas. Quais exemplos de integrações entre empresas supermercadistas foram estudados para a idealização da rede UNNO?

[Genival Beserra]: Estudamos casos como Supermarket e Rede Economia, todas bem sucedidos no Rio de Janeiro. São empresas pequenas que se uniram com outras e se tornaram grandes, principalmente pela vantagem de comprar em maior volume da indústria. Diminuíram o custo com logística enquanto ganharam aumento em seu potencial como um todo. Em um grupo formado por empresas varejistas, todos se unem para poder comprar mais. O mesmo acontece com anúncios e propaganda. Antes da união da rede UNNO cada empresa comprava seu espaço publicitário, agora passamos a fazer os anúncios juntos, o que diminui o custo.

[Blog APAS Show] A tecnologia está cada vez mais presente nas lojas e, principalmente, nas grandes redes supermercadistas. Como a tecnologia ajudará o negócio?

[Genival Beserra]: Tecnologia hoje é tudo e o supermercado depende dela para operar seu negócio. Estamos estudando a implementação de ferramentas de self checkout em algumas lojas, mas ainda sem previsão. Vamos avançar com as ferramentas disponíveis e os meios de pagamento mais adequados ao mercado que ofereçam um bom serviço ao consumidor.

[Blog APAS Show] Como essa integração entre as empresas pode minimizar as perdas de cada loja?

[Genival Beserra]: Com um sistema mais consistente e robusto para a retaguarda do supermercado, é mais fácil conseguir números mais apurados e assertivos sobre a operação. Assim podemos tomar medidas mais efetivas para manter o controle de perdas de cada loja. Por isso é importante a troca de experiência entre as diferentes operações. Se uma delas possui um nível de quebra de mercadorias menor que a média geral dos componentes do grupo, vamos aprender como faz para passar a diante. Nesse sistema um aprende com o outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.