Redes sociais oferecem oportunidades de negócios e estratégias com colaboradores

Profissionais de empresas tecnológicas apresentam sua visão para o supermercadista

Um dos painéis do Congresso de Gestão da APAS Show 2017 destacou a importância do supermercadista dialogar diretamente com o consumidor, por meio das novas tecnologias. Realizado no primeiro dia de palestras, o debate contou com a participação de renomados nomes do setor de tecnologia, entre eles, Fiamma Zarife, diretora Geral  do Twitter Brasil, e Milton Beck, diretor Regional da América Latina  do  LinkedIn. Leia nossa cobertura aqui.

A partir da necessidade de novas estratégias, tanto por conta do sucesso de popularidade da rede representada por Fiamma, quanto da eficiência da empresa comandada por Milton Beck, as redes sociais estão em alta junto aos consumidores e colaboradores. O que o supermercadista precisa entender para conseguir fazer mais negócios, ou deixar mais sólido o empoderamento com os colaboradores?

Segundo uma pesquisa realizada pela PwC Brasil, com 1 mil consumidores, 77% deles disseram que as informações obtidas nas redes sociais, por meio de comentários de amigos ou nos perfis dos varejistas, impactaram as decisões de compra. Além disso, 43% deles também relataram que pesquisam sobre o retorno de uma marca, enquanto que 39% deles seguem as marcas favoritas nas redes sociais. Quando perguntados sobre vídeos, 35% deles assistem, nessas mídias, produções audiovisuais sobre marcas ou produtos.

Para aproveitar esse momento de alta conectividade, é imprescindível que o supermercadista se planeje e compreenda a utilização de cada rede social.

Em entrevista para o Blog APAS Show, Fiamma revelou que é necessária uma atuação consistente da empresa nas plataformas, levando em conta as características de cada uma. “Por exemplo, o Twitter é uma rede de interesses, as quais as pessoas buscam paixões como música, comida, produtos, entre outras. Uma dica para o supermercadista é oferecer conteúdo relevante, a fim de criar engajamento com o consumidor”.

blogpost1-Twitter
Zarife durante o painel na APAS Show

Segundo a diretora, a rede social está além dos tradicionais 140 caracteres, que são característicos, desde a criação da empresa. “O vídeo tem ganhado a rede, inclusive no Twitter, o que reflete a maior parte do engajamento dos usuários”. Mas isso não é tudo, Fiamma também afirmou que é importante usar bem o conteúdo, a partir de uma linguagem correta. “É crucial conhecer o target, testar informações, imagens e medir o engajamento”.

Quando questionada sobre os benefícios das redes sociais para o supermercadista, Fiamma destacou o feedback em tempo real, o que torna possível aperfeiçoar o trabalho gradualmente. “Dependendo do negócio, as melhores práticas podem contribuir para as estratégias do supermercadista”.

“A essência do Marketing não mudou com a tecnologia. É ainda contar histórias relevantes, que emocionam, engajem e vendam. Deve-se fazer isso de uma maneira que toque o consumidor, que fale a linguagem dele. Isso certamente vai trazer resultados”.

Colaboradores como influenciadores

Quando se trata de redes sociais dentro do horário de trabalho, muitas empresas olham com preocupação. Por isso, não é difícil encontrar organizações que fazem de tudo para limitar o uso de redes em computadores das empresas. Todavia, esse caminho pode não ser o melhor.

Para Milton Beck, diretor do LinkedIn, isso não é o ideal, pois os funcionários usam o celular para entrar nas redes sociais. “Outras empresas toleram, mas não incentivam o uso consciente”. Entretanto, o diretor ressaltou que as empresas que se sobressaem são as que usam as plataformas para alavancar a mensagem da própria empresa.

34298244041_930c0e68e4_k
Milton defende um recrutamento melhor elaborado.

“É como o caso do Linkedin, ao ser utilizado como uma plataforma para divulgar conteúdo importante da empresa. Se levar em consideração que cada profissional está ligado a milhares de outros, incentiva-lo a compartilhar essa mensagem pode gerar uma grande riqueza em benefícios”.

O diretor também apontou algumas boas práticas para o supermercadista usar o LinkedIn. “Mostre como é o supermercado, onde existem lojas, quais são os planos de expansão e assim por diante”.

Para Milton, intensificar os valores do capital humano também é fundamental. “É muito importante para os supermercadistas terem os melhores profissionais. Se eles acreditam nisso como uma vantagem competitiva, é fundamental fazer um recrutamento melhor, traçar uma estratégia de atração de talentos mais eficaz”, finalizou.


Confira o bate-papo que tivemos com Fiamma Zarife após sua participação no Congresso de Gestão da APAS Show 2017:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.