Compras por comando de voz: por que seu supermercado não pode ficar fora dessa conversa

Empresas apostam na conectividade entre assistentes virtuais e plataformas de e-commerce para facilitar as compras dos consumidores

Antes uma distante realidade, os assistentes de voz começam a se tornar parte da realidade dos brasileiros. E isso interfere diretamente em vários aspectos estratégicos para as marcas presentes na vida da população. A partir da sedimentação de um hábito – o comando de voz -, haverá a necessidade de ajuste a essa nova realidade para atender a um consumidor cada vez mais ávido por agilidade.

De acordo com dados da consultoria Ilumeo, 20% dos brasileiros já utilizam diariamente assistentes de voz. A pandemia da covid-19 fomentou este comportamento e a consultoria registrou um crescimento de 47% no uso de serviços ou produtos a partir de assistentes virtuais de voz. 

Mesmo antes do isolamento social, algumas redes já começaram a se adequar a essa nova realidade. É o caso do Walmart, que em 2019, anunciou uma iniciativa com o Google para permitir compras por comando de voz ao Google Assistant, plataforma da empresa para facilitar o dia a dia dos consumidores.

No ano passado, foi a vez do Carrefour e do Google anunciarem uma parceria para lançar um serviço de compras nesse formato na França, como parte do plano da rede francesa de aumentar a conexão entre seus canais e a presença digital do grupo. Ao associar a conta pessoal Google ao serviço do Carrefour, o cliente pode emitir um comando de voz para elaborar uma lista de compras, convertida em um carrinho de produtos que pode ser pago no e-commerce da empresa.

No Brasil, quem aposta nesta conectividade é a rede carioca Zona Sul, que redesenhou seus canais digitais em 2021. Agora, os clientes podem conectar o aplicativo da empresa às plataformas Google Assistant ou Alexa, da Amazon, para realizar suas compras a partir do simples comando de voz. Também foram incluídas novas funcionalidades como busca por imagens, que permite a partir da fotografia de um produto, inseri-lo ao carrinho de compras.

 

Com a expansão e chegada dos assistentes ao lares, a perspectiva é otimista para quem apostar neste novo canal. De acordo com a consultoria britânica Juniper Research, a expectativa é que 80 bilhões de dólares sejam movimentados por meio destes dispositivos até 2023.