Pix é aprovado por 76% dos brasileiros, segundo estudo

Contudo, ainda há desconhecimento sobre a responsabilidade da gestão do sistema de pagamento do Banco Central

O Pix parece ter agradado aos brasileiros, sobretudo os mais jovens. É o que aponta uma pesquisa da Capterra, que aponta para 76% dos brasileiros aprovando o método de transferência de dinheiro. O estudo também traz informações sobre um uso bastante recorrente da solução desenvolvida pelo Banco Central – 51% dos usuários declaram utilizar a ferramenta de uma a quatro vezes por mês. 

Há inclusive a possibilidade desse volume de transações aumentar, segundo o estudo da Capterra. A pesquisa diz que 84% dos participantes estão dispostos a substituir a forma de pagamento por Pix se souberem/ forem informados que aquele estabelecimento aceita esta modalidade de pagamento. 

Em relação às chaves para acessar o serviço, 66% dos entrevistados declaram que utilizam sua conta corrente vinculada ao Pix, enquanto apenas 17% a vinculam à poupança. Já o uso de carteiras digitais associadas ao Pix é de 14%.

Leia também: Pix: como está a aceitação nos supermercados?

Desconfiança entre os mais velhos

Em relação a sensação de segurança e confiança nos meios de pagamentos, os mais velhos são os mais receosos quanto ao uso do Pix. O índice de confiabilidade na solução chega a 85% na faixa etária entre 18 e 22 anos, enquanto no outro extremo, entre 56 e 65 anos, esse valor cai para 71%. Quando é trazida para a conversa a questão do volume do montante de dinheiro, o índice de confiabilidade cai para 68% em relação à transferências de altas quantias de dinheiro.  

Além da questão da confiabilidade, outro dado importante é sobre o próprio conhecimento da solução. Para a maioria dos participantes da pesquisa, (68%), a gestão do Pix é realizada pelos bancos, quando na verdade isso é de responsabilidade do Banco Central, fato citado por apenas 22% dos entrevistados. Um grupo de 10% não sabe dizer qual instituição é responsável por supervisionar e manter a gestão do sistema.

O estudo conduzido pela Capterra foi realizado com 1.012 participantes entre os dias 12 e 18 de maio de 2021.