Você já conhece a função “carrinho de compras” do WhatsApp?

Recurso ajuda consumidor a organizar os itens desejados e facilita a compra ao final do pedido.

O WhatsApp vem implementando uma série de funções na versão Business para facilitar a compra dos usuários. Ao final de 2020, em dezembro, o aplicativo de mensagens mais popular no Ocidente lançou uma função de “carrinho de compras”, nas conversas com estabelecimentos comerciais. 

Esta funcionalidade ajuda o consumidor a organizar um pedido a partir do “catálogo” – outro recurso da versão disponível apenas na versão para negócios. Usado estrategicamente, este recurso pode auxiliar tanto consumidores quanto supermercados a organizar pedidos longos, no caso de compras de reposição para os lares, e otimizar a gestão deste canal de comunicação e vendas que passou por um verdadeiro “boom” com a pandemia da Covid-19.

Como funciona o carrinho de compras do WhatsApp?

Nas conversas com contas Business, o cliente acessa a aba “catálogo”, onde encontra os produtos disponíveis. Ele seleciona o produto e a quantidade desejada do mesmo, e caso a pessoa queira adquirir mais de uma unidade basta clicar no botão “adicionar ao carrinho”. 

Na tela seguinte, além de rever os itens do pedido, o cliente pode iniciar uma conversa com o lojista para combinar o pagamento – na entrega, ou via cartão, Pix ou outras modalidades. O pedido é finalizado quando o comerciante confirma o pagamento. 

Até o momento, o carrinho de compras ainda não realiza pagamentos, atuando como um organizador e iniciador da compra. Contudo, isso deve mudar dentro em breve. Em março deste ano, o Banco Central autorizou o WhatsApp a realizar transações bancárias pelo próprio aplicativo – após revisar a decisão de junho de 2020 que não aprovou a modalidade de pagamento. 

Essa autorização deve acelerar as transações realizadas pelo próprio aplicativo e criar um ecossistema de pagamentos/ redes sociais/ comunicador instantâneo, semelhante ao que já acontece na China com o WeChat, popular app que além das funções já mencionadas aqui, agrega outras como pedidos de táxi, jogos eletrônicos entre outros recursos. Ao final de 2020, o mercado de social commerce da China encerrou o ano com uma movimentação de US$ 242,41 bilhões.