Wi-fi gratuito nos supermercados: por que apostar nesta estratégia?

Celulares se tornaram os equipamentos mais utilizados para os brasileiros acessarem a internet. Agora, a oportunidade está nas mãos dos supermercados para explorarem o potencial das conexões em tempo real nas lojas

Não é nenhuma novidade para todos nós que vivemos em um mundo hiperconectado. E essa necessidade de conexão pode se mostrar uma vantagem quando utilizada estrategicamente, por exemplo, ao disponibilizar o sinal de wi-fi gratuito nos supermercados.  

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil passou a ter em 2020, 122 milhões de usuários de internet. Neste cenário, os celulares despontam como a principal ferramenta para acesso à web, no último ano. 

Veja mais dados sobre a evolução da telefonia móvel no Brasil, no ano de 2020, período em que o crescimento do setor foi impulsionado principalmente pela pandemia da Covid-19.

                                                                                                          Fonte: Anatel

 

Diante deste cenário, disponibilizar conexão wi-fi nas lojas representa uma série de facilidades para fidelizar o cliente e aumentar as vendas. Separamos algumas vantagens para você colocar em prática essa oportunidade que está, literalmente, nas mãos do consumidor.

1- Experiência de compra – A disponibilidade do wi-fi enriquece a experiência de compra pois permite que o consumidor possa se conectar com mais qualidade em um ambiente completamente controlado. O cliente pode realizar pesquisas de preço e informações, enquanto os supermercados podem disponibilizar QR Codes que, quando acessados nos smartphones, fornecem mais informações aos consumidores para ajudar no convencimento de compra para alguns produtos.

2 – Maior estabilidade na conexão – Embora as redes móveis (2G, 3G e 4G) se encontrem distribuídas pelo Brasil, algumas localidades sofrem com pouca cobertura ou baixa qualidade do sinal, que fica refém de empecilhos como distância de antenas e outras intempéries. Ao oferecer o sinal de wi-fi da própria loja, o supermercado garante uma conexão com mais estabilidade e velocidade, o que pode alavancar a experiência do cliente na loja.

3 – Ativação para programas de fidelidade – Disponibilizar acesso à internet gratuita nas lojas incentiva e ajuda o consumidor a utilizar as plataformas de fidelidade, como apps e programas online, permitindo o acesso a promoções exclusivas e personalizadas, de acordo com o perfil e comportamento do usuário. 

A comunicação em tempo real e com qualidade de conexão pode colaborar para colocar itens a mais na cesta de compra do consumidor e aumentar o ticket médio ou faturamento em um determinado período. Os supermercados do GPA, como Pão de Açúcar e Extra, vêm apostando nessa estratégia para aumentar o volume de inscritos nos apps das bandeiras pertencentes ao grupo (Pão de Açúcar Mais e Clube Extra).

4 – Monitoramento do comportamento – Uma vez conectado à sua plataforma, o supermercado pode coletar dados sobre o comportamento dos usuários, suas cestas de compras e produtos, e marcas recorrentes, permitindo criar um banco de dados que pode ser explorado para fidelizar esse cliente. Essa captura das informações deve ser feita respeitando o que prevê a Lei Geral de Proteção de Dados, que entrou em vigor no ano passado.

Leia também: Cartilha – Lei de Proteção Geral de Dados (LGPD) e Supermercados

As análises do comportamento podem se estender também para a movimentação do cliente dentro loja e o tempo de permanência em determinadas áreas como gôndolas, peixaria, padaria, açougue, possibilitando a criação de um verdadeiro mapa de calor do estabelecimento.

5 – Medir a satisfação do consumidor em tempo real – Mensurar a experiência do consumidor, no momento em que ele vivencia diferentes situações, traz feedbacks muito mais ricos e espontâneos do que em um questionário frio, respondido durante pesquisas de satisfação. Além de poder capturar a emoção do consumidor em uma janela de tempo mais curta, permite contornar experiências desagradáveis, vividas pelo cliente, e convertê-lo de um possível detrator do supermercado para um consumidor mais engajado e até defensor da marca.