Vendas do varejo diminuem, mas supermercados têm menor queda

Pesquisa Mensal do Comércio mostra queda de 6,1% em todo o setor varejista, entre novembro e dezembro. Setor de supermercados registra -0,3%

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, somando todos os setores do varejo, as vendas diminuíram entre os meses de novembro e dezembro de 2020. A boa notícia é que o volume de vendas do comércio varejista brasileiro registrou crescimento de 1,2% em 2020. Apesar disso, o estudo feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) mostra queda de 6,1% nas atividades pesquisadas que compõem o setor.

Os mais impactados pela diminuição de vendas foram as empresas varejistas de artigos de uso pessoal e doméstico e a de tecidos, vestuário e calçados, com mais de 13% de queda nas vendas de dezembro, ante o mês anterior. Em terceiro lugar aparece o varejo de equipamentos e materiais de escritório, informática e comunicação, com -6,8%.

No outro extremo deste ranking estão os hiper e supermercados, que registraram o menor índice de retração entre as empresas que compõem o setor varejista brasileiro. Segundo a pesquisa do IBGE, a queda nas vendas destas empresas, entre novembro e dezembro do ano passado, não passaram de 0,3%.

Já o Índice Getnet de Vendas do Comércio Varejista Brasileiro (iGet), desenvolvido pelo Departamento Econômico do Santander, em parceria com a Getnet, apresenta outra realidade entre os estados do País em relação ao segmento do varejo para este ano. O estudo mostra que, em janeiro de 2021, todos os estados brasileiros tiveram queda nas vendas, com destaque para as regiões Norte e Nordeste.

Fazendo a comparação entre o mês de dezembro de 2020 e o de 2019, o volume de vendas do setor aumentou 1,2%, enquanto a receita nominal foi 9,2% maior. Considerando o acumulado do ano de 2020, o segmento com maior alta nas vendas foi o de supermercados, alimentos, bebidas e fumo, com 4,8%.