Carrefour cria unidade digital focada no consumidor

Carrefour eBusiness Brasil também terá a função de administrar startups, aplicativos e programas de benefícios, entre outras iniciativas

Desde 2017, quando o Carrefour entrou no mercado de vendas online de alimentos, a empresa vem se preparando para atingir o primeiro lugar neste quesito no Brasil. Para alcançar esse objetivo, a rede anuncia uma nova unidade de negócios, o “Carrefour eBusiness Brasil”, com a missão de integrar toda o aparato digital da companhia.

O ponto crucial desta iniciativa é acelerar a Transformação Digital do grupo Carrefour e tornar a empresa líder no varejo online de alimentos do país. Mesmo diante de números ainda pouco atrativos no Brasil, a empresa entende que o cenário digital de menos de 1% das vendas totais de alimentos é um indicador do potencial de crescimento neste setor.

O otimismo do presidente do Carrefour no Brasil, Noël Prioux, tem como base os mercados online de alimentos na China, que representa 30% do comércio, e na Inglaterra, onde o percentual chega a 12%. Para atingir os resultados esperados, a empresa contará com uma equipe própria nesta nova unidade que buscará a liderança do varejo online de alimentos no país.

Além disso, o Carrefour eBusiness Brasil também terá a função de administrar startups, aplicativos e programas de benefícios, entre outras iniciativas digitais. A premissa da rede francesa é atender o perfil de consumidor que começou a se aventurar em canais digitais que oferecem mais conveniência.

Ecossistema digital

Para atender esse novo consumidor, que vai aos pontos de venda sabendo o que comprar após pesquisar na internet e lê avaliações de outras pessoas sobre determinados itens, Pedro Alexandre criou o “Ecossistema Wiboo”. Trata-se de uma plataforma que permite aos consumidores ganharem benefícios em troca da sua opinião sobre produtos.

Esta iniciativa dá oportunidade às marcas terem visibilidade, engajamento e, consequentemente, potencializa as vendas dentro dos supermercados trabalhando com recomendações na plataforma. Os usuários que compartilham campanhas de suas marcas preferidas recebem criptomoedas “WiBX”, podendo trocá-las por produtos ou dinheiro.

Ou seja, o usuário compartilha, recebe e troca sem ter que gastar nada. Desta forma a ativação de marcas e produtos passa a ser remunerada e o reflexo será percebido principalmente em pontos de venda como supermercados, onde o sortimento de itens é maior, podendo atrair ainda mais consumidores para as lojas.

teste