Mudanças na forma de comprar produtos de higiene e perfumaria

Fabricantes internacionais da categoria incentivam redução do uso de água nas fórmulas para conquistar o consumidor mais jovem

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) em parceria com a Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) realizam a quarta edição do Caderno de Tendências 2019-2020 com o objetivo de compartilhar informações sobre os rumos deste segmento no Brasil e no mundo.

A pesquisa mostra que 82% dos consumidores da geração Millennial estão o tempo todo conectados, possuem smartphone e 64% deles se dizem dispostos a fazer compras em um supermercado virtual. Além disso, o estudo também aponta que 57% das pessoas com esse perfil já fazem encomendas on-line e 53% das Famílias Conscientes (perfil formado por donas de casa acima dos 56 anos, casais sozinhos, aposentados e pensionistas) têm o supermercado como o local preferido para fazer compras, contra 48% da média de todo o país.

De acordo com os dados coletados, mais de 90% das vendas de produtos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) são feitas em hiper ou supermercados, além da venda direta, farmácias e drogarias. O desafio trazido pelo estudo é a tendência de queda na participação de hiper e supermercados nas vendas destes itens e um crescimento nas vendas online destas categorias.

Case

De olhos no perfil dos novos consumidores e seus anseios, a empresa taiwanesa de cosméticos O’Right e a indiana Azafran Innovacion investiram em produtos baseados em plantas e biodegradáveis com o uso racional da água em seus processos. A principal iniciativa dessas companhias é a redução ou total dispensa do uso da água para desenvolver itens de beleza e de cuidados pessoais.

Além disso, as duas companhias também investem em produtos que promovem a redução do uso de água por parte dos consumidores. Vale lembrar que o recurso responde, em média, por 46% das fórmulas de produtos de beleza e de cuidados pessoais. A marca brasileira Batiste também produz xampus a seco e, por isso, vem despertando a atenção dos consumidores mais interessados em sustentabilidade.

teste