Cervejas artesanais ampliam mix e faturamento dos supermercados

Marcas importadas e cervejarias artesanais chegam aos pontos de venda com o intuito de expandir o sortimento das lojas e atender a demanda por produtos com mais qualidade

Gestores e consumidores de cervejas artesanais bem que poderiam brindar ao sucesso destes produtos nos supermercados brasileiros. O que antes era escondido nas gôndolas, com pouco espaço para exposição e opções de marcas, hoje as cervejas artesanais alavancam as vendas de toda a categoria nos pontos de venda.

Há cerca de 10 anos dificilmente o consumidor encontraria esses produtos nas gôndolas dos supermercados brasileiros. Porém, hoje, existem mais de 700 novas cervejarias artesanais, somando um total de aproximadamente quatro mil marcas no mercado, segundo o gerente da categoria de cervejas da marca Paulaner, André Oliveira – mais conhecido como Guaxupé.

O executivo acredita que o Brasil está vivenciando o melhor momento em relação ao consumo das cervejas artesanais e especiais. De acordo com Guaxupé, as grandes redes foram decisivas para o sucesso da marca no país. “A Paulaner entrou no mercado e construiu seu nome no Brasil principalmente com a cerveja de trigo, a Naturtrüb, e um kit com duas garrafas e o copo de 500ml”, disse.

Paulaner ganha força com estratégia no varejo

Nos últimos anos a Paulaner se tornou uma das maiores fornecedoras de cervejas artesanais e importadas do GPA. O gerente explica que a Paulaner contou com o fortalecimento das tratativas com o trade para poder oferecer o melhor preço possível. “Nosso maior desafio foi com a importação dos produtos, porque tivemos que lidar com muitas variações de câmbio no Brasil. Sofremos para manter bom custo-benefício para que o consumidor não deixasse de comprar nossos produtos”, contou o gerente de cervejas da Paulaner.

Hoje consolidada no mercado brasileiro, a companhia pretende continuar inovando e trazendo cada vez mais consumidores para os supermercados. Estamos trazendo para o Brasil a Oktoberfest Beer, assim como as embalagens long neck, para as grandes varejistas, adiantou André Oliveira.

Grandes empresas também ampliam portfólio

Apesar de ainda representarem uma pequena parte do volume total de vendas de cervejas no Brasil, essas novas marcas podem trazer resultados lucrativos para o supermercado. “Vivendo a ampliação do território da cerveja e nossa dica para os gestores desta categoria é adotar uma exposição extra das marcas mais conhecidas e com preços mais acessíveis”, explicou Oscar Sala Neto, diretor de Trade Marketing da AmBev.

Na rede Pague Menos as cervejas especiais têm papel fundamental no aumento do tíquete médio nas 27 lojas em São Paulo. Hoje são mais de 200 rótulos e, segundo Diego Cicconato, gerente de inteligência de mercado do Pague Menos, as vendas destes itens dobram a cada ano.

Para Fernando Soares, vice-presidente da Ambev, além de alavancar as vendas das cervejas artesanais, este movimento é favorável à toda a categoria e o sucesso de um não significa a decadência do outro. “Temos que aproveitar a atual onda das cervejas artesanais e ampliar as vendas e as margens de toda a categoria”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.