O futuro da mercearia no supermercado

Negociação da Whole Foods e Amazon pode redefinir rumos do varejo tradicional

Todos querem saber como será o futuro do varejo. Para isso, tenta-se desvendar e acompanhar os novos hábitos do consumidor. O gigante do varejo on-line parece bem certo do futuro e, por isso, tem feito investimentos no varejo físico.

Falamos anteriormente no texto Aquisição da Whole Foods pela Amazon levanta debates no varejo sobre a compra que surpreendeu o mercado varejista mundial. Foram por impressionantes 13,7 bilhões de dólares que a Amazon adquiriu a Whole Foods Market, rede de supermercados de alimentos naturais e orgânicos, que conta com lojas nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido.

Com isso, a Amazon torna-se ainda maior, e prepara-se para oferecer o que sempre foi um desafio para grandes redes: uma melhor e mais atrativa experiência de venda de produtos naturais – ponto de venda físico e on-line.

Quais são as possibilidades de acordos como esse? Veja alguns pontos levantados por uma matéria da Forbes:

Programas de cozinha ao vivo

Dentro das lojas Whole Foods são realizadas aulas de culinária ao vivo, sendo provável que esta oferta continue a crescer. Com a Amazon já inserida na indústria do entretenimento e a ascensão dos chefs que são celebridades, é altamente possível que os supermercados tornem-se estúdios ao vivo para estrelas do YouTube – ou para séries emergentes de vídeo. Não é impossível imaginar um chef celebridade, que apresente a sua forma de fazer nhoque em uma loja da Whole Foods e transmita a experiência ao vivo via Facebook, por exemplo.

Trend Showroom

Os supermercados do futuro exibirão as últimas tendências em saúde, ingredientes, pratos e estilos de culinária. Será uma chance de carregar a inspiração – não importa o que o consumidor procure: pratos saudáveis ​​para a família, ideias divertidas para uma festa de 50 anos, verduras e legumes de diferentes regiões do mundo. Os layouts serão altamente inovadores e projetados, e estimularão os consumidores a demorar um pouco mais nas lojas.

Recomendações personalizadas

A Amazon já usa algoritmos inteligentes para dar recomendações aos usuários, que atendam as necessidades. Essas recomendações não serão mais específicas apenas sobre gostos e preferências, mas também em relação a dados biométricos. Já existem empresas que oferecem serviços voltados para o DNA de clientes e, nesse caso, o supermercado poderá indicar os alimentos que funcionam melhor para o corpo e tipo de sangue do consumidor. E isso não é pura especulação, pois a Amazon expressou publicamente os interesses em entrar nas indústrias da saúde e farmacêutica.

Centros comunitários

Se as mercearias tornarem-se um lugar de inspiração e locais para apresentar tendências, faria sentido ir visitá-las com um amigo e degustar o que foi visto no almoço. Os supermercados não serão mais um lugar para apenas comprar e ir embora, mas, sim, uma experiência para saborear. Já existem muitas lojas Whole Foods com áreas de estar para aqueles que comem enquanto compram. No futuro, essas opções crescerÃO em qualidade e variedade.

E você supermercadista? Que tal inovar e melhorar a experiência de consumo para os clientes? Deixe o seu comentário sobre o assunto!

Com informações: Forbes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.