Millennials: colaboradores com este perfil podem gerar desafios (e soluções) no ambiente de trabalho

Palestrantes do Congresso de Gestão da APAS Show 2017 deram dicas de como lidar com colaboradores de uma geração mais jovem

O varejo, em especial o supermercado, possui uma enorme gama de colaboradores, de idades diversas − fator que pode causar desafios na relação entre diferentes gerações. O Congresso de Gestão da APAS Show 2017 abordou o tema no painel “Liderança Participativa e Coaching”. Realizado no dia 04 de maio, uma das palestras focou na importância do RH para o empoderamento dos colaboradores.

Anteriormente, no texto A falta de engajamento do líder pode comprometer o trabalho do RH, trouxemos um pouco do conteúdo apresentado por Adélia Amaro, diretora de Recursos Humanos do Grupo Sonda. Na ocasião, a profissional pontuou algumas formas de ampliar os resultados, baseados aumento da felicidade dos colaboradores.

E quando esses colaboradores são da Geração Millennial? Existe alguma diferença que os líderes precisam levar em conta na hora das tratativas?

Em entrevista para o Blog APAS Show, Adélia revelou que, apesar dos desafios, o importante é incentivar a integração entre as gerações.

“Colocamos jovens, pessoas muito antenadas e que terminaram a formação agora, para trabalharem com gestores da loja. Muitas vezes, um colaborador de 25 anos de idade está trabalhando com um profissional que possui 25 anos de experiência”, relata a diretora.

Segundo Adélia, a ação tem dado muito resultado, pois existe a responsabilidade de uma geração mais antiga ensinar e apresentar inovações, oferecer um feedback aos jovens que precisam melhorar e usar sua experiência como exemplo. “E os jovens estão aceitando”, acrescenta.

Millennials querem um propósito

Para Fábio Scannavino, diretor-Geral das Operações, Parcerias e Corporativo do IBC − Instituto Brasileiro de Coaching em São Paulo, a geração Millennial é ávida por crescimento. “Eles querem agir, por ideias em prática. São um tanto impacientes, pois querem retorno o mais rápido possível. Além disso, buscam sempre um propósito, algo maior do que eles fazem”.

Fábio, que também ministrou uma palestra durante o painel do Congresso de Gestão − saiba mais no texto O papel do coaching para uma liderança mais eficaz − diz que a solução é incorporar esse jovem no sonho da empresa. “Quando oferecemos a oportunidade dele dividir esse sonho, levando-o para dentro dos objetivos, damos também um propósito a ele. Ou seja, o que eu faço é a realização de um sonho individual e de um grupo de pessoas”.

O diretor afirma que, devido à união dos colaboradores, os Millennials se sentem mais engajados. “Eles gostam de trabalhar em conjunto”, complementa.

Fábio enfatiza ainda que esre é um momento único da humanidade, com tantas gerações dividindo o mesmo ambiente de trabalho, o que é muito enriquecedor. “A geração mais nova tem a responsabilidade de tirar da zona de conforto os funcionários veteranos, o que leva empresas a se renovarem”.

“Essa questão traz também certos desconfortos, pois é necessário se reinventar para liderar este perfil”, completa. Para Fábio, trata-se do resgate do respeito entre as gerações, o que é ótimo para evitar o preconceito dentro do ambiente corporativo.

Dicas para lidar com os Millennials

Adélia revela que é necessário apresentar a rotina do trabalho para os mais jovens, contextualizando o mercado no mundo. “Hoje eles se conectam com a informação de forma diferente dos jovens do passado. Por isso, precisamos fazer um trabalho de forma mais eficaz, levando em conta a paciência e a falta de foco, causada pela enorme oferta de informação”.

A diretora aponta que não se deve criticar a geração por ser mais conectada. “Que incentivo você dá para um jovem se o seu discurso for negativo? Quando se percebe a contribuição que ele dá, ela é rica, inovadora. E inovação traz prosperidade”.

“Esse perfil contribui de uma forma espontânea, pois o jovem de hoje é da geração de compartilhar. Antigamente, o pensamento de ter posse da informação era uma questão de status. Hoje é diferente, pois se trata da geração que compartilha e colabora”, conclui.

E você, supermercadista? Possui desafios ao lidar com colaboradores mais jovens? Deixe o seu comentário e participe do debate!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.