4 mudanças no hábito do consumidor para você ficar atento

Essa é a hora de entender o consumidor!

O Brasil vive um momento de incertezas e desafios. Cabe ao varejista buscar conhecer melhor o seu consumidor para entender o seu comportamento, que tem variado nas escolhas, buscando sempre economizar. Além disso, são em momentos de instabilidade que os hábitos mudam. Se por um lado as pessoas estão cortando gastos com lazer e entretenimento ficando mais em casa, por outros tem aumentado seus gastos domésticos.

Para o supermercadista, estar atento a essa mudança é fundamental para criar estratégias. Veja algumas mudanças no comportamento dos consumidores que oferecem oportunidades para atrair o consumidor para a sua loja, apresentadas na pesquisa inédita Tendências do Consumidor 2016, apresentada na APAS 2016 pela Nielsen:

  1. Promoções

Sem banalização, são eficientes. Mas não adianta colocar produtos com variações muito pequenas de preço, pois o consumidor está mais atento e comparando valores. Vale lembrar que sem planejamento, esse método pode ser um tiro no pé se não levada em consideração a venda em grandes volumes. Segundo uma pesquisa da Nielsen, as cestas de Bebidas e Mercearia têm respondido melhor à Redução Temporária de Preço (TPR), enquanto as cestas de Higiene e Limpeza apresentam melhor desempenho com embalagens promocionais.

  1. Conveniência x Economia

Antes de ir às compras, o brasileiro está mais criterioso. Segundo pesquisa da Nielsen, a reposição torna-se mais importante no hipermercado, um dos principais canais de abastecimento doméstico. Atenção para os alimentos frescos, que crescem quase 4 vezes mais nesse canal. Outro dado importante é que quase 50% do crescimento das lojas de vizinhança acontece pela expansão das novas lojas. O consumidor tem buscado esse canal para ocasiões de emergência, comodidade e por impulso.

  1. Troca de marcas é mais comum

Em metade das categorias da cesta Nielsen sofre o trade down (busca por marcas de menor preço). O segmento em que esse comportamento é mais acentuado é o de limpeza, em que esse número chega a 71%.

  1. Atenção para a falta de produtos

Em 2015, a indisponibilidade de produtos nas lojas foi de 4,6% contra 3,5% em 2014, chegando a 6,4% no de bebidas. O pior disso, é que o gerenciamento de estoque o principal foi responsável pela indisponibilidade. A principal causa foi a deficiência na gestão de estoques.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.